VIVALDO STAUT

Método World Innovators (WI)

Se preferir, clique no vídeo abaixo que eu leio “A Boa Comunicação” para você.

vpost25-Sucesso-e-comunicação-A-boa-comunicação

Olá! No artigo anterior desta série sobre Sucesso tratamos da boa comunicação. Vamos falar neste episódio um pouco mais de uma das ferramentas mais poderosas e eficazes desta boa comunicação, e que quando bem utilizada, garantem resultados que parecem até mágica: o Rapport.

pelo Psicanalista Marcos Silveira

O QUE É O RAPPORT?

A psicologia e a PNL entendem que esta tal “boa comunicação” envolvem diversos elementos, e chamam a somatória destes elementos de Rapport (pronuncia-se rapór).

Rapport seria um conjunto de técnicas com o intuito de criar uma ligação de empatia com outra pessoa. O termo vem do francês rapporter, cujo significado remete à sincronização que permite estabelecer uma relação harmônica.

Indivíduos em verdadeiro rapport agem harmonicamente, como numa dança ou coreografia bem ensaiadas. Qualquer relacionamento humano, para que seja bem-sucedido, necessita que um rapport adequado seja estabelecido.

Segundo Anthony Robbins, “Rapport é a capacidade de entrar no mundo de alguém, fazê-lo sentir que você o entende e que vocês têm um forte laço em comum. É a essência da comunicação bem-sucedida.”

ELEMENTOS UNIVERSAIS DO RAPPORT PARA UMA BOA COMUNICAÇÃO

Então, a boa comunicação se baseia especialmente em Rapport. São praticamente sinônimos. Portanto, é uma das maneiras mais rápidas e eficientes de se gerar “confiança” em um diálogo, mesmo que seja a sua primeira conversa com uma pessoa. Muitas são as técnicas para que possamos gerar rapport, e vou citar algumas delas abaixo:

Sorriso

É considerado a chave universal do rapport. Um sorriso conecta mais do que mil palavras. Sua face sorridente e radiante transmitirá ao outro tranquilidade, além de mostrar que você não está munido de nenhum tipo de defesa contra o que ela está dizendo;

Nome

Outro segredo é tratar o outro pelo nome: “O som mais lindo que alguém pode ouvir é o do seu nome pronunciado”, nos ensina Dale Carnegie em seu livro acima citado. Decore o nome da pessoa logo nos primeiros instantes da conversa, e o repita por várias vezes durante o diálogo, inserindo-o nos intervalos das frases. Você verá que a outra pessoa irá gerar empatia imediata com você;

Otimismo

Este é outro ponto muito importante. As pessoas não gostam de pessoas pessimistas, e com o tempo tendem a se afastar delas. Elas querem alguém que as transmita confiança e sensação de poder. E o otimismo consegue isso;

Paciência

Numa conversa, é fundamental que você saiba ouvir, pois quando a outra pessoa fala, é porque quer ser escutada. Espere as pausas na fala da pessoa para poder colocar suas ideias. Evite cortá-la;

Mais escute do que fale

Deve haver alguma razão para Deus ter criado o ser humano com dois ouvidos e uma só boca. Entendo que seja para que pudéssemos escutar duas vezes mais do que falar. Coloque seus ouvidos a serviço, abrindo um estado mental de escuta ativa, evitando colocar-se numa posição inicial de prejulgamento (que inconscientemente você poderia demonstrar em sua expressão facial). E aqui vai mais uma máxima de Dale Carnegie: “Não julgue, não critique, não condene”. Você seria exatamente igual à outra pessoa se tivesse sido criado nas mesmas condições;

PARAFRASEAR GERA RAPPORT

Uma das ferramentas mais eficazes da comunicação de sucesso é o parafraseamento. Você pode apenas repetir algumas palavras ou frases que a pessoa está dizendo, para que ela sinta que você está conectado ao que ela está comunicando. Isso fará com que ela se sinta acompanhada.

Procure usar as palavras que ela mais usa ou que coloca ênfase, utilizando também seus termos preferidos. Ou você pode reproduzir parte do conteúdo com as suas próprias palavras, demonstrando que entendeu o significado.

Parafrasear é bastante útil também para que você calibre se o que você está entendendo do discurso da pessoa é exatamente o que ela está tentando dizer. Você pode usar frases do tipo: “Então o que você está me dizendo é que…” ou “Pelo o que você me disse entendo que…”. Se ela concordar, você estará no caminho correto. Se ela disser algo do tipo: “Não, não é nada disso que eu estou falando!”, peça para que ela repita em outras palavras a ideia. Estar conectado com o conteúdo é de fundamental importância na comunicação.

ESPELHAMENTO TAMBÉM!

Agora, dentre todas, uma das mais eficazes técnicas a serem utilizadas para que tenhamos boa comunicação interpessoal é a do “Espelhamento”. Esta técnica consiste em “imitar” o comportamento do outro. Nós tendemos a confiar em pessoas que são parecidas conosco, e é neste sentido que o espelhamento funciona. É claro que a técnica deve ser executada com sutileza e elegância, ou correremos o risco de se parecer com uma “micagem” ou caricatura, e aí perderemos todo o progresso conseguido.

Alguns são os elementos que devem ser espelhados, para que a técnica seja executada com sucesso. Os principais são:

Movimentos Corporais

Neste item você irá escolher um movimento corporal de seu interlocutor que seja constante e vai começar a espelhá-lo. Por exemplo: se a pessoa estiver gesticulando muito com os braços, no momento que você voltar a falar repita movimentos parecidos ao se expressar. Se ela estiver com os braços cruzados, você pode tentar fazer o mesmo, ou cruzar as pernas, num espelhamento mais suave. A sua postura parecida com a do outro trará a ele a sensação de que vocês são “iguais”. Mas atenção: não cometa o grande erro de imitar algum tique ou maneirismo da pessoa. Ela vai se ofender gravemente com isso;

Qualidades vocais

Procure igualar a tonalidade, o volume, o ritmo e a velocidade da fala da outra pessoa. Exemplo: Se ela fala mais rápido, procure acompanhar este ritmo. Se ela fala mais lentamente, seja mais lento em sua exposição;

Respiração

Iguale sua respiração no mesmo ritmo da respiração da outra pessoa. Esta talvez seja a parte mais difícil de se conseguir, porém é talvez a mais poderosa. Conseguindo realizar isso com eficácia, você terá conquistado mais do que 50% da atenção e confiança de seu interlocutor. Importante também verificar qual é o tipo de respiração: se torácica (parte superior do peito), abdominal (região do ventre) ou intermediária;

Canal representacional

Todos nós possuímos um de nossos canais dos sentidos como o mais aguçado – seja a visão, audição, tato, olfato ou paladar (estes três últimos unidos no que chamamos de grupo cinestésico) – ou preferido. Este é chamado de canal representacional dominante. Procure descobrir qual é o canal preferencial da pessoa, e passe a estimular mais este canal em sua comunicação. Use frases que remetam a estes canais, como “veja”, “ouça” ou “sinta”;

Expressões faciais

Levantar sobrancelhas, apertar os lábios, enrugar o nariz ou discordar mexendo a cabeça enquanto a pessoa fala são péssimas posturas. Mesmo discordando do conteúdo apresentado, procure manter expressões faciais neutras, para que a outra pessoa não se sinta reprovada ou repelida. Não é necessário que você concorde com o que o outro diz, mas apresente isso de forma delicada em seu discurso verbal, sem reforçar com as suas expressões suas discordâncias. Suas expressões faciais serão elemento de aproximação ou afastamento com o seu dialogador, a depender de como você as utilizar.

Bom, é isso por hoje. No episódio 4 vamos explorar outros itens que nos conduzem na jornada do sucesso, como inteligência emocional e carisma.

Um grande abraço!

Fonte e mais Info: Este conteúdo foi escrito pelo Psicanalista Marcos Silveira. Conheça mais sobre o autor e seu propósito neste link. Veja dicas de como descobrir o seu propósito neste post. Assine nosso canal no Youtube e veja muitos outros “vposts” como este. Vídeos novos todas as quintas.


Participe do treinamento World Innovators (WI) OnLine

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

%d blogueiros gostam disto: